Brasil Notas automotivas

Scania G 500 8x4 XT ganha versão teleoperada

Modelo oferece mais velocidade, maior produtividade e solução homologada

04/07/2024 17h45
Por: Sérgio Dias Fonte: Sérgio Dias
Scania G 500 8x4 XT ganha versão teleoperada/Divulgação
Scania G 500 8x4 XT ganha versão teleoperada/Divulgação

As empresas Scania, Fidens e Hexagon fazem história na mineração nacional com a apresentação do caminhão G 500 8x4 XT teleoperado. A Scania é a responsável pelo caminhão, a Hexagon pela alta tecnologia de adaptação, instalação elétrica, câmeras e a cadeira remota de comando e a Fidens pelo desenvolvimento e operação do veículo. 

Continua após a publicidade

O Scania G 500 8x4 XT Heavy Tipper é vocacionado para o trabalho fora de estrada

“A Scania acreditou desde o primeiro momento neste projeto. O potencial de negócio do descomissionamento de barragens é enorme. Nos preparamos desde o início para atender da melhor forma a Fidens. A tecnologia da Hexagon é muito eficiente e estamos entregando em conjunto uma solução perfeita para este tipo de operação. O competente apoio da estrutura da Casa Scania Itaipu para suportar a Fidens será essencial”, diz Luciano Piccirillo, gerente de Vendas de Soluções Off-Road da Scania Operações Comerciais Brasil. 

Continua após a publicidade

O Scania G 500 8x4 XT Heavy Tipper é vocacionado para o trabalho fora de estrada, tem PBT técnico de 60 toneladas e motor de 500 cavalos de potência. A nova solução para a mineração permite o aumento de produtividade, da segurança e da velocidade de operação, ainda ganho de eficiência e redução de quebras no árduo trabalho nas minas. Outro diferencial do produto é sair de fábrica com garantia e homologação da Scania.

O principal foco do primeiro caminhão 8x4 teleoperado da história do Brasil é atuar em áreas de risco e descomissionamento de barragens

Continua após a publicidade

“A Fidens trouxe e desenvolveu, em 1997, em conjunto com a Scania, o primeiro caminhão 8x4 da mineração brasileira. Em 2024, exatos 27 anos depois, agregamos a Hexagon a esta parceria e desenvolvemos o primeiro 8x4 teleoperado do Brasil. Acreditamos que este caminhão irá revolucionar os serviços de descomissionamento de barragens, atividade de grande importância na redução de riscos ambientais da mineração. Essa nova tecnologia trará mais produtividade, mais segurança na operação e menor custo”, afirma Thiago Frauches, diretor comercial da Fidens.

O G 500 8x4 XT Heavy Tipper não-tripulado tem suspensão dianteira com capacidade de 22t, capacidade de 38t na suspensão traseira, desenvolve torque de 2.550Nm, a caixa de câmbio é a Opticruise GRSO935R, traz eixo RBP900 e freio auxiliar hidráulico Scania Retarder de 4.100Nm.

As soluções desenvolvidas pela Scania foram na coluna de direção com volante ajustável de ângulo, nova caixa de direção elétrica com sistema de direção servo assistida para o segmento e sistema de direção teleoperado com acionamento via correia, polias e suporte do motor elétrico da Hexagon.

Além de reforço na fixação do suporte do motor elétrico da Hexagon, acabamento nas capas da coluna de direção e de proteção do sistema de condução e do motor elétrico também da Hexagon. Outras providências necessárias foram a preparação e instalação do sistema de acionamento do bloqueio do diferencial, definição do local ideal para a instalação do suporte de antenas e câmeras, e, por fim, a preparação nos sistemas de freios e elétricos.

A Casa Scania Itaipu é a concessionária responsável pela venda e garantirá todo o apoio no trabalho com o completo pacote de soluções de serviços que dispõe em sua competente estrutura de cobertura nos estados de Minas Gerais e Pará.

O principal foco do primeiro caminhão 8x4 teleoperado da história do Brasil é atuar em áreas de risco e descomissionamento de barragens. Depois dos recentes acontecimentos em barragens de mineração, em 2019, se tornou obrigatório no Brasil estes descomissionamentos de barragens, que utilizam o método de alteamento a montante. 

Esse é o tipo de construção em que os diques de contenção se apoiam sobre o próprio rejeito ou sedimento previamente lançado e depositado, uma em cima da outra, tornando o montante suscetível a infiltrações de água e aumentam a chance de rompimento. 

Para cumprir a lei, as estruturas perdem a missão de armazenar rejeitos, sendo descaracterizadas e reintegradas ao meio ambiente, numa recuperação das áreas degradadas. Em âmbito nacional, é a Agência Nacional de Mineração (ANM) a responsável pela fiscalização e regulação das atividades de mineração. 

O controle remoto do caminhão é feito por uma cadeira de comando (um cockpit que se assemelha a um simulador de direção), com a alta tecnologia da Hexagon equipada com câmeras e sistemas de telemetria para a total condução do veículo a quilômetros de distância. Não há um limite definido de onde a cadeira de comando está até o local do caminhão. É possível, por exemplo, o operador estar 30km longe. No caminhão, diversas outras câmeras e sensores ajudam o operador a fazer curvas, carregamento, descarregamento e demais ordens da direção comum no dia a dia do trabalho na mineração. 

“Essa solução de teleoperação vai beneficiar toda a comunidade. Eu costumo falar que essa é uma verdadeira iniciativa ESG, pois estamos nos preocupando com a segurança dos operários, com a menor emissão de poluentes e a diminuição no consumo de combustível. Ou seja, uma eficiência operativa. Além disso, estamos protegendo a comunidade próxima às barragens, numa operação muito mais segura e bem mais controlada”, finaliza Rodrigo Couto, presidente América Latina – Hexagon, divisão de Mineração.

Ele1 - Criar site de notícias